23 de mar de 2009

retrô?cesso!



sentimentozinho féla. uma vontade de abrir os teus olhos, e bater na tua cara com as verdades que você insiste em negar.
vontade de gritar até a voz acabar, gritar que nesse jogo, quem tá perdendo é você.
vontade de pintar o teu egoísmo, no teu espelho.
aquele que, no lugar do músculo, tem pedra. envolta por camadas, por máscaras.
mas a quem você esta enganando?
subiu?
mas e agora, em quem você está pisando?
e agora, que você não está precisando?
ânsia.
asco.
todo demagogo, todo boa praça, pinta e o caralho a quatro.
todo mil amigos... conta comigo... fé nos apegagos.
grande merda, todo esse balaio de clichês e falsas verdades e idades.
agora que, não te convêm.
pra puta que pariu, todas as tuas desculpas, disputas, tuas putas ou ex-putas.
pra longe, com toda a sua melosidade seletiva e a eterninade da tua amizade conveniênte.
sentimentozinho féla. é te ver perdendo tudo, te apoiando em outros muros, em queda emimente.
sentimentozinho féla, é te ver sendo injusto, egoísta e folgado, com os únicos paciêntes que na hora do aperto, ficaram do teu lado.
é ver tua mente mínima, minimizar-se ainda mais, com pessoas que de ti ainda riem por trás...
é ver a vulnerabilidade dos teus sentimentos, vontades e amores. ver hipocrisia nos teus olhos, sentir a promiscuidade absoluta nas tuas palavras.
sentimentozinho féla, é saber que aquele um, que já foi único pra muita gente, se tornou um qualquer. um filho da puta qualquer. que tem os olhos cerrados e colados ao próprio umbigo, que tem maldade nas palavras, pré e pós-julgamentos hipócritas, sermões e valores falso-moralistas. sentimentozinho féla, é ver um coração antes admirado, hoje sendo evitado.
pra longe, com todas as tuas explicações, exemplos e formas de se safar.
minha desculpa, meu perdão minha admiração, meu carinho? tarde demais pra recuperar.

17 de mar de 2009

re-encontro-ar

nem desistir,
nem tentar.
agora babe, é tanto faz.
eu tô indo de volta pra casa.
pro meu sussego,
pro teu apego.
eu tô de volta, eu tô voltando.
mais forte, mudada...
mudando.

sai da frente, eu tô passando!
eu tô de volta, abre a porta,
eu tô voltando.
pro teu sussego, pro meu chamego.
pra minha eterna paz.

não pára, eu tô andando.
to passando... voltando.
acelera teu passo, sempre atrasado.
vái, sái da frente, eu tô voltando.

eu já cheguei, meu acampamento re-armei.
minha fogueira acendi.

eu to voltando, eu vô voltar.
à ativa, à amar.
se eu to voltando, amigo...
é pra ficar.

5 de mar de 2009

máquina do tempo.




um aperto, um suspiro e várias saudades.
daqueles sonhos que eu deixei pra trás.

um aperto, uma vontade e nada mais.
de voltar no tempo, de recomeçar.
de fazer diferente, e o presente? mudar!

um aperto, um suspiro, várias saudades,
das falácias que não falei,
das erratas que não publiquei,
das escolhas que não fiz.

um aperto, um suspiro, e uma saudade,
das pessoas que não perdoei,
do destino que não aceitei,
do abraço que não sentí.

da pessoa que não fui,
da verdade que afastei,
da oportunidade que tive
e pra sempre perdí.