25 de mar de 2011

certeza


eaí, num bip contínuo que me embaralham nos olhos,
abro, e juntando te com ám, o sorriso me faz nascer.

depois de tantas palavras jogadas,
soltas, e atiradas pela nossa embriaguez,

na manhã dos flashes escuros
me pesa a cabeça, clareia o pensamento.

me convence de que por fim...
chegou, bonito... a nossa vez, até que enfim, vai acontecer.

17 de mar de 2011

veio porque?

E então, por pura coincidência... Ou por criar vergonha na cara mesmo, as coisas ficam claras. Quando eu comecei a enxergar as coisas de forma muito mais prática.
É? É. Não é? Pô, não é, caralho.
Pra quê ficar batendo na porra da mesma tecla, sabendo que vai sofrer depois? Aí, nego vem me chamar de fria... Coração de pedra... Vem encher os meus pacovás, dizendo que se eu superei tão fácil, é porque não era tão importante assim.
Ah, pá puta que pariu. Eu só não me permito mais, baby. Eu tava numas, de acreditar na pureza do ser humano... Até que me provassem o contrário. E pasmem! Sabe o que aconteceu?! Provaram mesmo. Inúmeras vezes, várias pessoas diferentes. Aí, já é burrice né?
"Mas então, Macaca... Cê tá dizendo o que?! Que você é a última Sapiens pura do Universo?"
Não. Aí, meu jovem... Que entra o segundo fator. Quem nunca foi um grande filhodaputa, que atire a primeira garrafa de cerveja. Não importa o motivo, se era isso que você já tava articulando pra rebater... Fácil culpar a situação, né Bonitão?
Por desilusão amorosa, por insegurança, por vício, por falta de estrutura famíliar, por que teu cachorro morreu quando você tinha 5, por esporte, ou por que tá no sangue mesmo (o que não é tão incomum, viu? e isso não serve só pros homens, Ok?)... Não importa. Você já foi filhodaputa uma vez... Nem que seja no Pré I, quando chamou de 'Espantalho', aquela lá que tinha o cabelo engraçado... E, não é que a guria era apaixonadinha no cê?!
Seguindo então, por essa linha de 'às claras', seja isso um problema ou não, eu passei a não ligar. Ah, quer jogar?! Vamo lá, por que eu aprendí a gostar do esporte, também. Por sua conta em risco. Eu, que preguei por muito tempo, o tal do 'permita-se'... Hoje bato no peito e grito: PERMITO PORRA NENHUMA! Pra entrar aqui, meu bem, quero ver esforço. Quero ver que vale a pena. Se me enrolar, meu jovem... Eu vô perceber. Aí, quem vai perder? É. Só você.
Eu vô ganhar, menos um problemão pra resolver.
Quer brincar? Vamo brincar. Quer falar sério. Vamo falar. Venha, por que, apesar da braveza momentânea, eu juro que não mordo. (Tá, não juro.) Mas, antes de vir, queridão... Tenha CERTEZA do porque tá vindo. Não vem querer sapatear de chuteira suja, no meu piso de madeira. Você não entra no meu espaço imaginário, se não tiver JÁ com uma idéia, BEM fixa na sua cabeça: Por que você tá indo?
Ninguém aqui é mais criança. Apesar, de uns preferirem e/ou estarem acostumados com aquelas pobres moças, que independente da idade, sempre vão ter a mentalidade inferior... Eu me garanto, vá... Menininha, rapaz... Eu não sou mais.

E essa mulher aqui, pode PERFEITAMENTE assumir os arriscos e petiscos das próprias escolhas... E isso, pode ser (e na maioria das vezes é) muito divertido. Cada um, com a sua conta em risco.
Vem. Mas vem de cara limpa. Mostra pra quê veio. Isso não é problema algum, nem vai fazer MUITA diferença. 'Eu vim, e fico só uma noite.' 'Eu, por uma semana...' 'Eu, só de fds...' 'Eu vim... Mas vou pra outras também...' 'Eu, gosto de você.' 'Eu vou gostar de você.' 'Eu me divirto com você, mas é só isso.' 'Eu vim pra tentar.' 'Eu vim pra aproveitar.' 'Eu vim pra te testar...' 'Eu vim pelo esporte da conquista.' São frases tão curtas... Que poupariam nós 'dois' de tanta chateação. Não quer dizer também, que qualquer um que venha... Será assim, 'pápum' admitido... Mas, sendo sincero assim, de qualquer dessas formas, faz com que você esteja à passos luz (tá, eu sei que não existe isso) na frente. Nem que seja pra virar meu brother.
Não diga que vai voltar, porque eu, sinceramente não vou te esperar.
Não me prometa, se não pretende cumprir... Porque agora, eu provavelmente vou sacar. E é só UMA vez.
Não subestime a minha inteligência, porque aí eu viro fera... Eu viro bicho... Vou achar seu ponto fraco, pegar na sua ferida, de propósito, pra magoar. (Ficou com medo? Riu? Despertei alguma reação?)
Me faça rir. Seja sincero. Seja educado. Fale direito. Pode até ser sarcástico às vezes, isso é afrodisíaco. Doses certas de cafajestice e carinho, tomadas nas horas certas... Também não fazem mal a ninguém!
O jogo vira, rapaz. O meu virou. Esgotei. Os outros não têm culpa, eu sei... Mas eu cansei de perder tempo...
Sendo assim, percebí que se tivesse essa peneira na minha vida, há pelo menos 7 ou 8 anos atrás... Tinha me poupado tanta lágrima aborrecente derramada, muita lamentação por nada ou por muito pouco... Tinha poupado o ouvido dos meus amigos (santos, são os meus amigos)...
Essa peneira, já em prática, aos poucos vai selecionando pra mim, só aquelas pessoas que valem a pena...
Sejam lá quais forem os motivos por valerem tanto a pena, o PRINCIPAL deles sempre será: DISSE POR QUE VEIO.
Falaí, SINCERAMENTE... É tão difícil assim?! Por que, né... Tá parecendo.

9 de mar de 2011

céu em festa.


e, numa aquarela com 360 cores e graus,
naquela brisa de dia amanhecido, que ainda não fez a noite dormir
um anjo, lá de cima me olha e sabe:
é dele meu pensamento.

e, nessa aquarela, nessa brisa de dia amanhecido,
as lembranças me pegam pela mão, entrelaçam os dedos nos meus...

é hoje.
o anjo, que lá de cima me olha, protege e sabe, hoje completa mais uma primavera.
hoje os anjos festejam ao teu lado,
a sua curta, porém INESQUECÍVEL, passagem por esse nosso mundo.

hoje o dia que amanheceria em festa aqui,
vai trazer nessa aquarela amanhecida, de dia que acordou...
a cor da falta que você nos faz.

e, nessa aquarela amanhecida...
é teu meu pensamento.
é tua a minha saudade.
é vazio o meu abraço...

mas transborda o meu coração.
aqui.
assim.

e você? aí de cima, me pinta dias e céus cada vez mais lindos...
pra eu ter, cada vez mais a certeza:
você sabe...
e como sabe.

parabéns!


07/03/2011

1 de mar de 2011

o "pra sempre" de verdade.


Demorou muito, e ainda acho que não será suficiente. Quero gritar os sentimentos, mas não consigo. As palavras, mais uma vez, sumiram dos meus dedos. Com uma intensidade milhões de vezes maior, que das outras vezes...
Vazio.
Saudade é bicho feio. Vazio é bicho ruim. Contra eles, tenho algumas armas... Sendo assim, aos poucos espero conseguir vencê-los... Se não, trazê-los pro lado do bem. Tenho comigo as Lembranças, aquele Carinho, aquela Parceria e a Cumplicidade...
Chega aquele sentimentozinho que corrói por dentro, que faz com que a gente não queira acreditar. Chega, e instala dentro de nós, aquela sensação de 'viagem longa'...
Pois é.
Fácil, não é. Mas eu não tinha a dimensão do quanto é difícil. Eu consigo sorrir, e lembrar das coisas boas... Mas, não posso mentir nem esconder a minha indignação. Impossível, não questionar (pelo menos um pouco) a vontade Divina, que nos tirou alguém tão... Tão... Tão.
Alguém que é TANTO, que me faltam as palavras para descrevê-lo. Eu acredito e me apego na certeza de que não é 'Adeus'... Assim, talvez fique mais fácil...
Me apego, nas risadas. Nos momentos. Me apego. Agradecer, é pouco... Por ter na minha vida, alguém tão... Tão. Por poder chamá-lo de "meu amigo".
Eu olho em volta, e aparentemente nada mudou. Tudo está no seu devido lugar. Depois de olhar, VEJO que, aos meus olhos, a imagem que projetamos desse mundo, perdeu um pouco (lê-se "muito") do brilho & contraste.
As músicas agora, me fazem sempre um sentido diferente. A palavra "saudade" vai sempre te trazer um pouco mais perto... Os olhos, não derrubam mais lágrimas tão facilmente... Algumas coisas, pessoas e situações ficaram pequenas e insignificantes, perto do teu signo, significante e significado.
Te deixo vivo aqui. Te guardo vivo aqui. Aqui dentro. Aqui! Nas letras, nas músicas, nas histórias, nas risadas. Pra sempre.
Eu sei que agora, estás bem... O que pra mim, também é conforto. Eu espero que fiquemos bem também. Com um pedacinho do peito a menos... Com uma saudade eterna, tatuada por dentro... Mas sempre praticando a alegria que você espalhava, lembrando e sorrindo, para que NÓS e PRINCIPALMENTE VOCÊ, não esqueçamos do quanto foi válido. Curto, mas MUITO válido.
Obrigada. Sempre. Saudade, muita.