27 de mai de 2010

epifan ía.


e nos angulos retos, a respiração que,
de dentro pra flora...
à flora.

que resgata do ontem,
o porquê mais assim,
assado.

que me traz lá do fim,
que me apaga o passado.

que me deu isso assim,
formado.

e que me conhecer,
a sensação que eu não sabia...
que me fez mergulhar,
lago escuro...
eu não conhecia.

e no cristal que me abrem os olhos fechados,
não penso, só digo...
com o lábio colado...

é plena, é cheia,
a bio, la vitta...

são quatro, são cinco...
por favor...
'REPITA!'

Nenhum comentário: