30 de ago de 2011

in evitável


Aí, ele se importa. Esquenta o chá, sempre 32 segundos... Porque sabe que ela vai perceber os 2 segundos faltantes... Ele vai ao mercado, escolhe só produtos de limpeza que agradem o alfato aguçado dela. Escolhe os filmes que sabe, tem certeza que ela vai gostar... E fica sempre na tensão, prestando a máxima atenção, pra saber se acertou.
Ele, acorda antes, abre as janelas, pra entrar o arzinho da manhã... Que ela sempre vai gostar. Ele, que não esquece da farmácia, tem sempre um gelo à mão... Porque ela vai insistir em se machucar.
Ele, que não precisa acordar as 5... Mas coloca o despertador às 4:59... Só pra ter certeza, que ela não vai perder a hora, mais uma vez. Ele que, nos fins de semana, faz planos, almoços, jantares, cafés, Tentando sempre... Sempre acertar.
Ela. Que reclama que o chá está sem açúcar. Não liga pros cheiros novos... Não presta mais atenção nos filmes... Reclama da claridade, pela manhã. Às vezes, finge que está dormindo, pra não ter que conversar... Ela, que quer o seu espaço. Ele, que contruiria até um castelo, pra ela ficar. Ela, que alheia... Não viu que o tempo passou. Ele, sentiu na pele. Se cansou.
E ela, um dia acordou...
Quando ele, da vida dela, se mudou.

Nenhum comentário: