21 de set de 2008

águas de setembro.

é pau. é pedra.
mas, é o fim do caminho?
é um obstáculo, é um paredão,
é um ponto sozinho?
é uma vírgula, é uma continuação.
é um teste, uma prova.
fui aprovada, ou não?
é saudade, é casquinha
é o frio no verão.
é uma promessa,
uma dívida,
com o meu coração.
é um terço, é um quarto.
é um quinto sozinho.
é metade que eu sigo,
de um longo caminho.
é vontade, é um sonho.
é sentir-me sozinha.
é o novo, um começo
é a grama do vizinho.
é o verde, o azul
de não mais preto e branco.
é o querer, o poder
é o enxugar do meu pranto.
é o nunca mais, até logo
um adeus, já nem tanto.
é um eu por inteiro
e do chão, me levanto.
é permissão, que me dou.
e pro céu, é que eu vou.
infinito, remando.
pro infinito andando.
infinito, sentindo
o infinito, procurando.
é pau. é pedra.
mas não, não é o fim do caminho.


adaptado por atademos jéssika.

2 comentários:

pH disse...

Sinceramente, não é o fim do caminho. Gosto dessa música.. E adorei a adaptação.. Como sempre meus comentários não chegam nem aos pés dos seus.. Mas.. Eu acho que saímos do barquinho furado, e agora temos que percorrer o caminho.. Deixa o baldinho de lado, e vamos pegar um tênis com uma sola bem resistente, pois o caminho é longo.. :}

Beijos, e melhoras.

Jacqueline disse...

Não é o fim do caminho,é simplesmente a pior parte dele na sua vida até agora.
è uma pedra.... um toco!mas q com certeza vc irá trasnpor pq nada é maior do q a vontade de SERMOS.
Nada é melhor do que falarmos consegui!
Calma linda vc não está sózinha sempre estaremos juntas, podemos não nos ver, mas não há distância q não nos faça SENTIR!
t amo