14 de ago de 2009

falso bem estar.



aqueles que um dia fingiram se importar.
hoje, fingem que não veêm, fingem que acreditam ser melhor assim.
ela já não se preocupa com os passos errados, que ele nunca deixou de dar.
ele não se lembra dos abraços intermináveis nem do carinho que só ela sabia fazer.
ela encara o espelho e mente, finge ter esquecido daqueles detalhes que faziam a diferença.
ele, que se esforça pra acreditar que todo aquele tempo, não foi nada além de tempo... de vida vivida em vão.
aqueles que se encontram nos pensamentos mais escondidos, nas músicas mais esquecidas, nas noites mal dormidas.
eles, que seguem por caminhos opostos, separados pelo orgulho e pela falta de tentar.
aqueles que negam a saudade, maldizem o desejo, escondem a única vontade:
voltar no tempo, recomeçar.

3 comentários:

Thiago disse...

Fiquei muito tempo pensando no que escrever. Ainda não consegui encontrar nada que me agrade pra agradar. Só acho impossível que alguém se esqueça de um abraço tão bom... Sei la né, minha opinião.

Fabrício disse...

Armadilhas conceituais...

Verdades elásticas que quase nos deixam alcançar qualquer coisa que não seja o ponto neutro do momento de força... quase

Tendências cíclicas que vitrificam as triviais emoções que nos escravizam...

Mas como dói a ausência daquele carinho que só ela fazia... como dói... e não passa essa dor, não passa.

MaHh disse...

Jessy James!!!
Adoro, como sempre, oq vc escreve!!!
Engraçado como algumas palavras se encaixam em algumas situações...
LUV U PIGUINCESA!!!
BDJO!!!