18 de ago de 2009

finda linha.



o que importa é o que toca,
o que fica, como e quando fica.

tão fácil perceber,
difícil é aceitar o que é real.

tão fácil perceber,
difícil é se encarar e seus erros, assumir.

tão fácil esquecer, quando o encanto acabou.
provando pelas leis do destino que se findo, não verdadeiro.
nada ficou.

5 comentários:

Zé disse...

VTF!!
Tá bom pra caray!!

E isso que eu sempre te digo... essa é tua essência na poesia!!

Bjos

Diego disse...

Ficou bom, passa uma mensagem direta á alguém e ao mesmo tempo soa impessoal de forma a servir á qualquer um que leia.

Thiago disse...

É... Teus textos andam cada vez mais explícitos e pessoais.

Jolie disse...

Pra se escrever, tem q se saber q na alma se escondem coisas q somente os escritores como vc sabe expor!
Como sempre exemplar!
bjus
T.A.

Fabrício disse...

"O que me inspira é a verdade. Julgo que essa verdade seja ideal porque é absoluta, e encontra referência apenas em si, derivada do supremo além do que há de um haver nas suas mais diversas acepções.

Invariavelmente tal verdade requer um parâmetro de representação no mínimo viável ao entendimento e aceitação humanos. Normalmente isso se faz com milagres e profecias. É valido comentar que as profecias não são absolutas, e que os milagres buscam essencialmente uma mudança de conduta, que aos olhos de Deus e da ética esteja correta. Mas o que é correto? Correto é o que faz mais bem que mal, quando não só o bem. Só existe o livre arbítrio diante da possibilidade de no mínimo duas escolhas. No jogo da vida é direito do participante saber antecipadamente pelo menos parte do que o espera. São comparações imperfeitas e convencionalmente inconcretas. Exigem muita fé." FM

No caminho da verdade, que nada mais é que o autoconhecimento, encontramos um dado importantíssimo: quanto mais nos conhecemos, melhor vemos quão profundas e intangíveis são as próprias respostas, e numa lógica projetada, o tanto que não somos capazes de conhecer ninguém. E tudo acaba.