11 de mai de 2011

360


no fundo a voz repete,
no eco, a ordem da fuga
o toque de recolher.

na cabeça as voltam que dão,
nos embalos e badalos
do não querer, não saber, encarar...
e mesmo que eu tente,
que eu procure...

que vasculhe nas arestas e lacunas,
sem saber porquê, sem final... mente achar.

não consigo sentir, não consigo entender.
essas voltas, que o meu mundo não cansa de dar.

Nenhum comentário: