23 de fev de 2011

até mais.


e a falta que faz, o buraco que deixa, o vazio que fica,
ninguém vai mensurar.

e a alegria que trouxe, do toque, do ombro, do anjo amigo,
ninguém vai me tirar.

e a lembrança que eu tenho, a risada gostosa, o exemplo de luta,
ninguém vai apagar.

e os corações, que dilacerados, que ficam...
torço, espero e peço pro tempo vim confortar.

Um comentário:

tyta melro disse...

Sinto o até mais.